terça-feira, 18 de março de 2008

Descaso

Música do dia: Sirenia - Downfall

Achei que meu próximo post seria sobre o descaso no atendimento dos atuais fast-foods e lugares de comida em geral de Londrina mas, devido ao que aconteceu hoje, preciso retomar um assunto chato e passado, mas que continua em vigor.
O descaso é outro, é com a educação. No Brasil, o que vigora é a auto-satisfação do cumprimento do papel social sem altruísmo algum; a vontade de mandar; a estupidez de se seguir as regras sem sequer se questionar se são mesmo justas.

Hoje, recebi uma advetência no colégio. Estranho? Demais! Eu não lembro de advertência desde a sétima série quando amarrei os cadarços de um gordo enquanto ele dormia e, então, caiu quando se levantou.

Analisarei a seguinte ocorrência:
"Fica o aluno, Bruno Lopes, advertido pela falta de respeito com o Professor Helder Linhares e com a Pedagoga, Geozani de Fátima Colonhesi. Ao ser questionado em relação a falta de produção da equipe, o aluno respondeu de forma irônica e ofensiva. Segundo a equipe de professores, o aluno é produtivo quando gosta da disciplina e do professor, mas costuma responder quando contrariado."

Fato para se poder entender o contexto: Nesse bimestre, cada equipe de alunos precisa montar um plano projeto de uma panificadora. Com tudo certo, uma simulação da abertura de um negócio, com todos os detalhes, etc.


Aspecto 1: Falta de respeito com professor Helder
Estando eu e minha equipe em mesa, o professor diz em tom irônico, para a sala toda, que certas equipes fizeram seus projetos sem pensarem no público alvo. De fato, o projeto de nossa equipe (não é mais segredo) é uma panificadora temática japonesa com a confeitaria oriental (à la Hashimitsu), o que me fez pensar que o fato de que ele estivesse me encarando, fosse simples coincidência. Mas não era. Após sua ironia patética, quis jogar em nossa cara que nosso projeto não tinha um público alvo. Ora, aí é que começou toda a confusão. Pra vocês, leitores, uma padaria JAPONESA tem qual público alvo? Huum.. talvez os japoneses, né? Me irritei!
Após eu ter dito o óbvio e que ele só pode não ter lido o que escrevi, para achar que não tínhamos um público alvo, ele ignorou completamente o fato de que ele foi infeliz em sua opinião e tentou retrucar perguntando se achávamos que os japoneses susteriam-nos. Mais uma vez provando que não leu nada do que escrevi, pois deixei bem claro que o público alvo eram os nipo-descendentes e que a padaria atrairía também àqueles que têm interesse pela cultura e curiosos em geral, muitos nessa cidade. Ou será que ele leu e não compreendeu? Tenho um professor analfabeto funcional?

Aspecto 2: Falta de respeito com a pedagoga Geozani
"Ao ser questionado em relação a falta de produção da equipe, o aluno respondeu de forma irônica e ofensiva". Essa frase correponde à parte da pedagoga, pois a mesma chegou em minha equipe dizendo que não tínhamos produzido nada durante as duas primeiras aulas. Me indignei com tamanha mentira e peguei a folha de exercícios de matemática, folha em que a professora passou dois simples exercícios a serem resolvidos, e eles foram. Com todos as provas de que fizemos algo, a pedagoga se retirou sem, ao menos, querer ver nossa resolução.

Aspecto 3: Análise do aluno
"Segundo a equipe de professores, o aluno é produtivo quando gosta da disciplina e do professor, mas costuma responder quando contrariado."
A frase fala sozinha. Preciso mesmo traduzí-la? Acho que diante de tanta cegueira, preciso. Os professores afirmam que quando o mestre é competente, os alunos produzem. O que quero dizer é que não sou nenhum tipo de rebelde sem causa, um sem-noção que avacalha as aulas, sou um bom aluno, mas um bom aluno com opinião. Exemplificando, não tenho problemas com o André. Por mais que sua disciplina seja um tanto quanto confusa pra mim e que ele já tenha me dado altas broncas, nunca o desrespeitei. E por que será? Talvez por que ele se dê ao respeito, porque eu o considero competente.
Eu sou exigente e se eu acho que meu professor falou merda, irei brigar mesmo. Desculpem-me, mas gosto de lidar com pessoas inteligentes.
Esta frase é uma amostra clara de como aqueles que detêm o poder manipulam a informação. Quando dizem "segundo a equipe de professores", subentende-se que todos os professores chegaram a um consenso de que sou um revoltadinho que xinga quando contrariado. Não preciso nem me esforçar pra saber que isso é mentira; que o corpo docente não é unânime nessa opinião. Vergonhoso! Isso se chama "corrupção", corrupção da informação. Quase uma Rede Globo.


Hoje, quando recebi essa advertência, usei de alguns argumentos mas ainda sim, esqueci de alguns. Algumas das coisas grandes que penso, disse. Falei sobre minha desaprovação no fato de termos um único professor para as disciplinas de filosofia e sociologia, tanto pela confusão, quanto por eu não achá-lo competente para assumir essa responsabilidade. Alguém que só tem bacharelado em filosofia quer lecionar filosofia e sociologia? Eu desaprovo. Desaprovo e mostro todo o meu repúdio a isso. Colecionarei advertências, mas nunca me calarei diante da estupidez.
Na Finândia, existe a melhor educação do mundo. Lá, as salas são tão lotadas quanto as daqui, os professores ganham menos que os daqui proporcionalmente à renda per capita. Mas lá, os professores gostam de lecionar, são competentes, é exigido mestrado para lecionar para o ensino médio. Enquanto lá se exige mestrado, aqui aceita-se um remendo de um professor cobrindo duas disciplinas. Aqui, fazer sua parte basta. Aqui, seguem as regras de que um ruela formado em filosofia pode lecionar sociologia e não param pra pensar se isso está certo. Aqui, a regra está certa e pronto. Aqui, somos marionetes da supressão da educação. Aqui, temos os piores índices de leitura, gramática, matemática e ciências. Aqui, somos merdas.

Que saudades, João Vicente...
Que saudades, Luciano...

4 comentários:

Likaaa* disse...

"Eu não lembro de advertência desde a sétima série quando amarrei os cadarços de um gordo enquanto ele dormia e, então, caiu quando se levantou."

auehaueh que Löki malvado
:o~
professores incapacitados são uma b**
e seguindo a linha de professores b** existem alunos b**. Aqueles que não são o mesmo acabam se prejudicando... engraçado você postar isso, tive problemas com professores logo hoje, mesmo.
ótimo post =)

- nota: suas músicas antigonas de mil novecentos e bolinha são as melhores (y)

JoShUaN disse...

Aplaudo sua opinião de pé

Rafa Roludissimo disse...

caralho looki

1 professor pra filosofia e sociologia é foda

e lembra q agente vai fazer ciencias sociais la na uel em
!

mas cara é foda essas porra
so me fodo no colegio tb


aahhahahaha
mas c é di maior ja ne?

nem sei se é melhor ou nao

=P


ah cara manda toodo mundo de fude
um abraço
!

Rafa Roludissimo disse...

Aplaudo sua opinião de pé (2)