terça-feira, 10 de março de 2009

Ensino Superior é ser superior.

Esse começo de ano é só folia. Todo mundo sabe que o Brasil só começa a funcionar depois do Carnaval (e olhe lá!). Longas ressacas do reveillon, preparações e as festas de Carnaval e, por último mas não menos importante, a volta às aulas (para quem estuda, claro). Todos os anos, milhares de jovens passam pelo sufoco do vestibular, atenuados pela grande maioria que vê a prova como um monstro e faz questão de difundir o mito. Se dividem entre os que enlouquecem de tanto estudar e os que não têm muita paciência para ler livros didáticos. Me encaixo na segunda opção.
Começou 2008 e eu disse a mim mesmo que me dedicaria aos estudos mas foi pura ladainha. Quando ainda estava na empolgação de devorar livros, no primeiro semestre, fui sufocado pelas baboseiras desconexas de meu antigo colégio Sesi, como a criação de uma padaria. Assim que tive a oportunidade ideal, com corpo docente qualificado e sem padarias, era tarde... Mas talvez não fosse tarde demais, o que é difícil julgar já que fui preguiçoso mesmo.
Dos dez livros da lista da UEL, li apenas um que, fatidicamente, não apareceu em nenhuma questão da segunda fase. Esse foi, definitivamente, meu tropeço. Errei quase todas as questões de literatura pois não sabia nem do que se tratavam os livros e as perguntas eram completamente estranhas para mim. Isso tudo aliado a um cara ruim de chute, dá nisso. É bom frisar que eu discordo que os pontos de língua estrangeira sejam vergonhosamente inferiores aos de literatura nacional/portuguesa. Não enxergo um ambiente onde saber quem foi Machado de Assis seja mais valioso que uma comunicação fluente em inglês. Enfim, isso tudo faz parte da velha besteira de achar que o Brasil tem alguma cultura da qual se orgulhar. Até a literatura (e diria, PRINCIPALMENTE a literatura) é cópia descarada e mal-feita da literatura estrangeira. Assim como quase todo o resto que temos para nos orgulhar, inclusive a farsa do sentimento patriótico que, só vem à tona, convenientemente nos anos de Copa do Mundo.


A minha enorme paixão pelo ensino e como ele é ensinado (englobando todas as minhas curiosidades pela neuro-ciência e desenvolvimento humano ligado a índices de educação) não me deixa quieto sabendo que o modelo de nossos vestibulares não passa de uma maquiagem para uma forma de ensino já ultrapassada há mais de cem anos pelos europeus (e olha que eu nem vou falar do Enem). Um modelo que só valoriza um tipo de aluno: aquele que tem boa memória. Devore livros, leia-os todos e tenha uma boa capacidade de armazenamento mental e não terá erro na grande maioria dos vestibulares do país. Há anos eu percebi que o raciocínio é muito mais valioso que o simples saber e, há não tanto tempo, eu descobri que isso é óbvio e já descobriram isso antes de mim (der!).
Sabido que os reitores e mestres do ensino têm ciência de tal fato, justifico o que quis dizer com "maquiagem". Como implementariam um modelo de vestibular onde o valor fosse dado àqueles que realmente pensam, valorizando o esquenta-cuca; o raciocínio, se o sistema básico de ensino é um esgoto a céu aberto?! Desde nossa infância, nos enfiam coisas para estudar e decorar e decoramos para as provas e vamos arrastando assim até o vestibular que, tcha-ram, fazemos a mesma decoreba novamente. Não preciso alongar muito a discussão pois, quem raciocina, já sabe o final dessa linha de pensamento: a falta de investimento na área de educação. Certamente, não seria barato mudar o conveniente (e preguiçoso) sistema de educação massificado baseado no decoreba para um que exigisse que o aluno fosse além do cópia-e-cola e estivesse preparado para questões-desafio de raciocínio e lógica. E ainda saem índices "espantosos" de como os brasileiros têm pouquíssimo interesse pelas áreas exatas. Simples, né?! A molecada corre de tudo que exige um pouquinho da força do intelecto e cai dentro do que precisa simplesmente memorizar.

Diante disso, percebemos o quanto o ser humano é podre. Se você é podre, tem que achar alguém mais podre para poder se sentir melhor, e é assim que funciona. Já não aguento mais a apodridão de orgulho de n calouros da UEL que estão no topo-das-tamancas simplesmente porque foram selecionados no já discutido modelo tosco de seleção. Os podres das faculdades federais pisam no orgulho dos podres de universidades estaduais que, por sua vez, precisam provar que não são os piores de todos, chacoteando os estudantes de universidades particulares. Passar em um vestibular de conceito alto só prova uma coisa: tens boa memória. Esse pessoal precisa ler mais, estudar mais, pensar mais e decorar menos. A maioria passou no vestibular e já se acham grandes o suficiente para estacionar os assuntos intelectuais que não têm relação com a faculdade. Triste.

É... esse começo de ano é assim mesmo. Gente se orgulhando por pouca merda, congratulações esbanjadas por tradição e não por mérito, moleques de cabeças raspadas com tinta na testa, meninas esfregando as bucetas nos veteranos em cervejadas e por aí vai. Pois é, Lula, parece que a crise realmente não mudou muito o cenário nacional.



Observação aos comuns leitores de raciocínio desavantajado: A última frase do post, assim como o título do post e algumas frases dentro do blog, são ironias ou piadinhas bem mal-feitas que não devem ser levadas ao pé da letra.

13 comentários:

Chico disse...

Melhores momentos:

"topo-das-tamancas"

"e, há não tanto tempo, eu descobri que isso é óbvio e já descobriram isso antes de mim"

"questãos-desafio"
- desculpa, Löki eahueoaiueaheae

Sei lá, só vim aqui dizer isso e dizer que eu gosto de literatura brasileira. Tudebom aê o/

Löki disse...

Oloko, vou consertar o erro. É foda postar 3h da manhã :D

Löki disse...

Consertado. Respeito sua opinião, mesmo achando literatura nacional, em sua grande maioria, um grande amontoado de putaria e lixo.

Chico disse...

O lixo de um homem é o tesouro de outro, e é fazendo merda que se aduba a vida. 8)

Não tem tanto a ver com o assunto quanto teria, mas frases de efeito são sempre boas.

Yhann disse...

com todo respeito, mas me racho de rir com tais dizeres
dizer q o aluno q passou numa publica nao tem mérito, é disculpa de qm nao alcançou tal feito. rala oq muitos ralam, pra pensar a respeito; se realmente levou com a barriga o colégio, querer passar e ter mérito eh mesmo viagem
e a respeito d os vestibulares d hj sao uma farça d decorebas, e se vc gostar d pensar pra responder algo, arrisque-se na Unicamp =)

escreve bem, porém forço a barra numas afirmaçoes dessas ;p
to Uel i me orgulho disso (Y)

abrass =*

romeu disse...

Texto completamente inutil, sem ideal.
Falar mal é muito simples dificil é apresentar solução, agora voce vim falar que "Um modelo que só valoriza um tipo de aluno: aquele que tem boa memória." , completamente ridiculo. eu diria aquele aluno que tem boa vontade , porque se for falar de alguem que põe na cabeça que ,"vou dedicar meu ano aos estudos" e logo no 1 semestre ja desiste, por simpleste LER LIVROS , me desculpe meu caro amigo mas para esse tipo de comentario só posso dizer que não passa de um muleque sem muita experiencia de vida possivelmente ainda sustentado pelos pais , que um dia ainda vai ver o que a "DECOREBA" de uma escola pública poderia ter feito em sua vida.

romeu disse...

ps: não ligue os erros ortograficos e a parte de ESCOLA pública e nao faculdade , pois ja esta meio tarde, depois de um dia um tanto quanto cansativo!

Löki disse...

Romeu, ofensa não é argumento. O idiota na história é você, que não sabe disso. E inútil mesmo é tentar me ofender, não sou bicha covarde que nem você pra me ofender com a opinião dos outros (ao contrário do que se observa pela maioria).

E se identifique, se é o bonzão mesmo. Atrás do pc, é fácil ser machão :)

romeu disse...

É caro Loki +1 vez voce provou ser errado aqui , e que seu blog não passa ser de uma criança sem experiencia de vida .
Porque se a palavra Inutil é um chingamento não quero nem ver o dia que voce arruma um emprego e ouvir varias outras coisas que pode ser dito e a parte do "O idiota na história é você" e "não sou bicha covarde" nao foi dito em momento algum mas se voce mesmo se auto denomina isso, diga por si próprio .
E sobre me identificar , caso queira me conhecer pessoalmente me fale que marcaremos um dia para conversar , mas por gentileza como adultos e não com essa postura de muleque sua.
Muito Obrigado.

romeu disse...

E caso queira um blog para nao ter opiniões externas, simplesmente não habilite a opção de posts.

Löki disse...

Não vale a pena desperdiçar argumentos com um metido a crescido como você. Mas, anyway, esse é meu msn: brunoheat@hotmail.com. Apresente-se para que eu tente te levar a sério :)

romeu disse...

É reparei mesmo que não vale porque até agora voce não utilizou nenhuma argumento, somente pequenas ofensas e desculpas, mas é como voce mesmo disse "Atrás do pc, é fácil ser machão :)" e se ter uma opinião formada com base em fatos é ser metido a crescido, escrever um texto completamente sem fundamentos com palavras "bonitas" é oque ?
Mas se um dia mudar de idéia estou todos os dias no prédio do banco do Brasil no calçadão.
Grato.

Löki disse...

OAUheouaheoa... Jogou a frase contra mim mas eu tenho um blog público onde todos sabem quem sou. Não faz sentido, campeão. Assim como o resto das cosias que disse, mas, enfim, eu trabalho das 8h às 18h e faço faculdade das 19h às 22h30, portanto, se quiser papear , só pela internet. O tempo em que estou livre fisicamente, eu gasto com minha namorada mesmo :D